segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Bumblebee | Crítica


          You got the touch! You got the power!!! Yeah! E finalmente temos um filme de Transformers! Aliás, deveria se chamar: "Bumblebee, the real Transformer" ou ainda "Transformers: a origem!" Ah! Que presentão foi esse filme. Infelizmente teve seus deslizes, que eu maldosamente vou deixar no crédito do produtor do filme, o Michael Bay. Brincadeiras a parte, Bumblebee é um filme de robô onde há um equilíbrio entre protagonistas humanos e robóticos. E isso é bom! Quem foi ver os guerreiros de Cybertron sai feliz e quem foi arrastado pelo parente nerd também se diverte.
          Vou começar pelo que não achei que deu certo, como por exemplo voltar exatamente ao assunto do primeiro filme da franquia "meu primeiro carro". Acho que já vimos isso, embora o diretor Travis Knight tenha conseguido colocar outro sabor na trama. Outro pecado do filme é se manter na franquia, o que nos leva ao terceiro problema: Bumblebee não fala. Claro que quem conheceu os transformers no cinema não sabe disso, mas Bumblebee é um baixinho tagarela, só perdendo para o Ratrap dos BeastWars/BeastMachines. E os problemas param por aí.


          Agora, o lado positivo é muito superior a esses tropeços e o filme entretêm e diverte bem. A protagonista interpretada por Hailee Steinfeld está bem na pele de Charlie e convence mais que qualquer outro personagem da franquia. A ambientação nos anos 80 também se mostra um acerto e, aliada ao visual original dos transformers, ainda traz um fan service na medida certa para quem acompanha a saga dos "robots in disguise" desde aquela época. Bumblebee não decepciona mesmo sem voz e temos algo que me lembrou a animação "Gigante de Ferro". Temos alívios cômicos sem apelação e John Cena aparece pouco o suficiente para deixar o filme bom. E, é claro, temos um fusca amarelo e um trecho da música tema do filme dos transformers de 1986. E mais, o filme ocorre exatamente em 1987! Tudo perfeito!

Para quem não conhece, este é o Bumblebee original.
Lágrimas aos olhos...
Filme de 1986 relançado em Blue Ray

          Que nota? Bom, vou dar 3,5 de 5. Afinal, ainda teimaram em manter a franquia. Mas se não viu, vá ver!



Nenhum comentário:

Postar um comentário