sábado, 30 de dezembro de 2017

Katie

Nome: Katie Antoni
Origem: Planeta Lar
Espécie: Humana
Grupo: Esquadrão Azul, Legião Estelar
Altura: 1,70 m
Peso: 65 Kg

Primeira aparição:
E-book "Batalha no Planeta dos Dragões" (Saraiva e Amazon)

Habilidades:
Experiência na infovia com aplicações em realidade virtual.

Equipamentos:
Padrão.

Histórico:
Acostumada ao luxo, Katie é defrontada com a violência e a insanidade do governo em um show assassino protagonizado pelo próprio imperador do planeta Lar. Katie perdeu, horrorizada, dois amigos da Linha Cruzada no tiroteio. Junto com Katarina, que fazia a segurança do evento, entra para a Legião Estelar naquela noite, após um discurso de Guiner.

Citações:

"Katarina, fala com a minha mão!"

"Ganhamos na loteria ou vamos morrer?"

"Ai! Tá se mexendo! Tem um treco vivo na minha perna! Socorro!"

"Não acredito! De quem foi a ideia magnífica de passar por um lodaçal?"

"E sim, eu queria meu banho com três tipos de xampus! Você ironiza porque nem sabe o que é isso!"

"Estamos em desvantagem numérica, eles sabem onde estamos, ficam invisíveis e vamos nos separar?"

"Você quer igualar as coisas? E vamos sair atirando a esmo? No meio de um nevoeiro? É a grande ideia?"

"Que se dane! Acabou! Chega! Eles que façam o que quiserem. Tá difícil de entender? Quer que eu desenhe?"

"Cavamos à toa. Vou levar horas para retirar as toneladas de terra que entraram debaixo das minhas unhas..."

"Não interessa! Eu tinha que estar lá. Se eu estivesse lá, ia ter sido diferente. Eu tinha que estar lá e pronto!"

"Deixe comigo, Vladimir. Vai precisar da mira da Katarina lá e não é possível que, com tantas horas na frente de computadores, eu não consiga ligar um sisteminha de segurança!"

"Eu estou com uma baita dor de cabeça, uma droga duma tala no braço, com as panturrilhas e as costas com emplastos e com essas mangueirinhas espetadas no pulso. Tô um caco, me esquece até amanhã!"

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Os Últimos Jedi (com spoilers) | Crítica


          Aguardei tanto para ver o Luke receber seu sabre de luz e ele joga a arma fora! Sim, essa postagem é com spoilers. E lá fomos nós assistir a "mais um Star Wars", aguardar os dizeres em azul, o logotipo com a música explodindo na tela e as letras amarelas subindo. Mas não foi mais do mesmo, que grata surpresa! O que vemos é um filme ousado, com trama, sem "fan services" desnecessários à obra e personagens clássicos abrindo caminho para novos protagonistas. Por que ousado? Porque saiu da fórmula consagrada da franquia e, ao contrário do primeiro filme desta trilogia, não é parecido com filme nenhum. Vemos a Força reexplicada, mas fiel ao conceito original. Bem e mal permanecem no filme, mas são postos em dúvida e é mostrado ao espectador a complexidade dessa divisão. Se por um lado Ben Solo tem escuridão, por outro as ações do próprio Mestre Luke concorreram para a criação de Kylo Ren. Leia usa a Força ostensivamente e a já saudosa Carrie Fisher voltando à vida no espaço. Tocou mais fundo sim, para os quarentões (cinquentões?) que acompanham essa saga desde que Luke tinha cara de guri perdido.
          Sobre a trama, vemos diferentes núcleos se alternando entre fracassos e sucessos que deixam a plateia emocionada nas viradas de enredo, com cenas não previsíveis que, por isso mesmo, não decepcionam. Rey evolui a olhos vistos e Kylo Ren sai um pouco do perfil jovem revoltado e começa o rumo para tornar-se um vilão. Algo ainda longe de seu avô, mas os olhos já vão passando mais firmeza no fim do filme. Aliás, Kilo Ren não precisa ser o novo Darth Vader, pode ser um Kim Jong-un mais colérico! Como é dito por ele mesmo, o passado está no passado. Seu destino é outro.
          São 2 horas e 33 minutos muito bem dosados. Aliás, eu veria 3 horas nessa qualidade, só tomaria menos refrigerante. Uma coisa interessante é que não parece o segundo filme de uma trilogia, parece que tudo vai começar agora. É uma nova guerra, uma nova Aliança Rebelde e a Primeira Ordem usa mesmos uniformes e naves, mas pode-se ver que um novo Império está para começar. O que falta para esse império? Falta um jogador de xadrez como Palpatine para mexer as peças no tabuleiro. Isso Kylo ren não apresentou ainda, apenas uma descontrolada fome de poder.
          A cena do super sayajin é tudo o que os espectadores sempre sonharam em ver. Luke cria para a galáxia o que ela precisa: "uma lenda". Ele, para todos os efeitos, recebeu todo o poder de fogo do Império e depois tirou o pó dos ombros. Essa história vai passar por todos os sistemas estelares, por todos os bares, por todas as praças e vai crescer com isso. O que move a Rebelião contra um Império que pode fabricar uma Estrela da Morte? Esperança. E essa foi, é e sempre será a missão de Luke Skywalker: ser "Uma Nova Esperança". Luke morre, mas renova a fé da Rebelião. Eu gostaria muito que a franquia Star Trek tivesse dado um final único como este ao Cap Kirk.
          Agora, para quem é fã, fan services na medida certa são muito bem vindos. Luke olhando para as duas luas, R2D2 mostrando a gravação de leia buscando Obi-Wan Kenobi (o que foi aquilo? Até o Luke se emocionou), o guri demonstrando o uso da Força no final e olhando para as estrelas com sua vassoura-sabre... Eu achei fantástico. Que nota daria? Bom, de 1 a 5 vale um 5 com lágrimas nos olhos.